Agentes Mirins do Arquipélago encerra primeira etapa da oficina de Educação Ambiental

Na tarde desta sexta-feira, chegou ao fim a primeira etapa da oficina de Educação Ambiental do projeto Agentes Mirins do Arquipélago, que aconteceu na sala do Centro de Geração e Renda da administração de Fernando de Noronha. Os 20 alunos participantes elaboraram um conjunto de cinco coletores para coleta seletiva (alumínio, vidro, papel, material orgânico e plástico), feitos com botijões de 20 litros de água mineral.

 Esses botijões foram retirados da Usina de Tratamento de Resíduos Sólidos de Fernando de Noronha, que é uma das empresas amigas dos Agentes Mirins do Arquipélago. Dessa forma, os alunos deram um importante uso a um material que iria para o lixo. Esse primeiro conjunto foi instalado na Escola Arquipélago. O próximo será destinado à creche Bem me Quer. Outros coletores confeccionados futuramente serão disponibilizados em alguns prédios da ilha.

 Os Agentes Mirins do Arquipélago ficarão responsáveis por fiscalizar o uso e a manutenção desses equipamentos. De acordo com a professora Liv Monteiro, que ministrou as aulas, a interação com os adolescentes foi a melhor possível. “Os alunos entenderam e captaram que precisam ser os agentes dessas ações. Houve uma reação muito positiva, notamos um cuidado todo especial com o material produzido e um grande interesse em preservá-los”, explica.

 A segunda etapa da oficina de Educação Ambiental acontece em junho. O Agentes Mirins do Arquipélago é desenvolvido e realizado pelo Centro de Pesquisa Histórica e Cultural de Fernando de Noronha (Cepehc). O projeto é patrocinado pelo Programa Caixa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro 2016.


Texto e Foto: Assessoria do Projeto

Você pode gostar também

0 comentários

Passeios, hospedagens e viagem!